Menu

20 de março de 2011

Enterre todos os seus segredos na minha pele

 "

     Nunca imaginei como seria matar alguém. Não até agora. Imagens de um assassinato rondam minha cabeça. Qual seria o sabor da vingança, assassinando aquele que tirou a vida de seus pais? Qual seria o prazer de enfiar uma faca, lentamente, no coração alheio? Qual seria a melhor maneira para se matar rapidamente? Qual seria a próxima atitude a se tomar, quando há um corpo na sua frente? Será que eu me arrependeria? 
     Pois é, o tempo era curto e eu precisava me decidir. Faria vingança com as próprias mãos ou deixaria isso se tornar mais um caso de polícia, daqueles que nunca tem fim? Não. Não poderia deixar a morte de meus pais no esquecimento. Não do jeito como havia acontecido. Mas para isso, precisava de um álibi e alguém em que confiasse para me ajudar.
     Só alguém que estivesse passando por dor igual poderia me ajudar. E ninguém melhor que meu irmão. Tá, certo que provavelmente esta cena estivesse acontecendo ao contrário. Seria ele que me pediria ajuda para isso. Mas ele está preocupado demais em chorar, chorar e chorar. Não que eu não chore. Contudo, eu queria deveras fazer justiça com minhas mãos e sentir o doce gosto da escaldadura.
     Corri até seu quarto. Tanto eu quanto ele sabíamos onde o assassino se esconderia. Só tínhamos que planejar deveras bem para que nada ocorresse de errado. Tinha que ser perfeito. E assim o fizemos naquela noite sombria, gelada e chuvosa.
     Meia - noite em ponto. Saímos em busca de nossa "vítima". E lá estava ela, entrando naquele velho hotel despencado no final da estrada que leva a lugar nenhum. Ele está abandonado desde que há cinco anos houve um homicídio. Ninguém mais conseguia ao menos passar perto. Diziam ouvir vozes. Eu duvido que isso poderia ter acontecido, mas com certas coisas é melhor a gente não mexer.
     Tudo deveria acontecer rápido. A vantagem que tínhamos era de ninguém morar por perto ou estar passeando por lá a essa hora da madrugada. Entramos devagar, cautelosamente para que ele não ouvisse os passos de sua morte se aproximando. Chegamos ao quarto, e lá estava ele, no banheiro. Já assistiu o filme Psicose? Aquele cuja cena mais famosa é a do assassinato com uma faca no banheiro? Pois é. Eu havia gostado tanto desta cena do filme que resolvi passa-la para a vida real.
     Ele não tinha para onde fugir. Um golpe certeiro. Jorro de sangue por todo lado. Não houve muita gritaria. Mas eu ainda não estava satisfeita. 
     Meu irmão me ajudou a trazê-lo para o quarto. Pela primeira vez senti uma ponta de medo. A janela estava aberta. Pedi para Marcos abafar os grunhidos do homem com um travasseiro e olhei para a janela, preocupado que alguém estivesse nos vendo.  Felizmente não havia ninguém lá fora. Peguei mais uma vez a faca. Bem, os detalhes acho que não são precisos. Só posso dizer que ele virou uma espécie de "frango a passarinho", todo aos pedaços. Nem ao menos tivemos a preocupação de sumir com os restos. Algum animal noturno e faminto o faria.




Eu sei que ficou grande, mas eu estava inspirada para escrever algo sangrento. (Risos). Obrigada pelo apoio e pelos comentários. Vejo vocês em breve.
Pauta para a 59ª Edição Conto/História, do Projeto Bloínquês.

20 comentários:

  1. Uiiiiiiii! Gamei! asuhuahsuahsa!
    Eu tbm pensei em fazer algo mórbido para o blog,juro,antes de você viu! Copiona! asuahshasua! Adorei...! Já senti vontade,queria ter pego o cara q fez da vida da minha familia um inferno e torturá-lo...Talvez até copiasse a cena do último filme do Jogos Mortais,no carro.Enfim,ele vai pagar...Um dia.Como todos pagam.
    Beijos e te amo bixa!

    ResponderExcluir
  2. Aim que layout mais lindo!
    Teu blog tá demais, alias feliz dia do blogueiro (20 de março), beijo!

    :D

    ResponderExcluir
  3. Anônimo20/3/11

    ééeé´todos nos ja tivemos momentos assim . ficou otimo.

    ResponderExcluir
  4. Que horror, Pam você consegue milagres, porque odeio contos/filmes bizarros não leio nem assisto, sou meiga smack.
    Ta ótimo, parabéns!

    ResponderExcluir
  5. nossa sua macabra u.u DHSAUDHASUHDAS brimks. Bem bolado ç.ç assassinato tenso G-G

    ResponderExcluir
  6. Sabe que eu gostei muito disso, sangue, sangue. Ando re-assistindo dexter então me identifiquei.

    ResponderExcluir
  7. Olha, se alguém tivesse matado minha mãe, a morte seria bem mais lenta, só pelo prazer de assistir, entende?
    Gostei dos detalhes, sou meio mórbido, haha. Não tem erros de ortografia aparentes, a frase não foi usada logo de primeira. Acho que você vai ganhar uma boa nota com esse texto.


    Boa sorte.

    ResponderExcluir
  8. Caramba Pam. Eu não tenho essa mente ÇKAÇLKÇAKSÇAKSÇSL
    Mas o texto ficou bom, dá um arrepiozinho. Eu ODIARIA quem matasse meus pais (que horror, só de pensar) mas acho que não teria coragem de chegar a matar essa pessoa não riri
    Bgs e boa semana :*

    ResponderExcluir
  9. Gostei! Inclusive da dubialidade de não esclarecer quem foi a 'vítima'; essa incerteza deixou uma ponta a mais de suspense, como se atiçasse o leitor. E atiçou mesmo!!!
    Muito boa narrativa e excelente idéia.

    ResponderExcluir
  10. Caraca, adorei! Me chamou a atenção pelo título, que é letra de uma das minhas músicas preferidas do Slipknot, e pela foto no final, que acho que é de um clipe do Creed (eu acho,rs). Adorei teu blog, e adorei esse texto, é simplesmente fantástico. Às vezes canso de ver textos românticos, rs. E esse foi tão fora do padrão, simplesmente amei. Tô te seguindo, beijão!

    ResponderExcluir
  11. Pamela, o layout está linnnnnnnnnndo :D
    Ah, vim avisar que já postei a décima e a décima primeira parte do conto Uma história de amor. http://cynthiadayanne.blogspot.com/ Beijinhos pra ti! Logo mais passo aqui para ler a sua participação na edição do projeto!

    Com amor,
    |Cynthia|

    ResponderExcluir
  12. Seguindo... adorei tudo aqui! *-*

    ResponderExcluir
  13. Estive, e com toda certeza retorno para conferir suas palavras!

    ResponderExcluir
  14. Acho que é notável que eu não sou exatamente uma blogueira, para falar a verdade, nem sabia que o tal botão existia!

    ResponderExcluir
  15. Tem selo no meu blog para você. Depois passe lá para buscar.

    http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/2011/03/so-mais-uma-carta-de-amor.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Muuuuuuuuuuuito bom, Pamela.
    O texto teve uma expressão séria e dramática mas ao mesmo tempo cautelosa. As palavras foram muito bem diagnosticadas - se assim posso dizer. E os personagens agiram de uma forma fabulosa. Devo dizer que sua imaginação e criatividade fluíram detalhadamente pelos ares e você abraçou-as, sem cuidado, com uma força enorme que as fez espremer a seriedade que o texto transmitiu. Parabéns pela criatividade - e eu não encontrei erros ortográficos, o que é muito bom. E parabéns pelo 3º lugar na edição :D Ah, tenho um selinho para você em meu blog, no momento não lembro qual o nº, mas passa lá na página de selos que você encontra!
    Beijos e bom fim de semana!

    Com amor,
    |Cynthia|

    ResponderExcluir
  17. Que lindo o novo lay Pam :D

    ResponderExcluir
  18. Adorei, começando pelo título, "Enterre todos os seus
    segredos na minha pele" que me lembra uma música
    do slipknot(talvez tenha sido proposital). É bem sombrio,
    bem minha cara! Faça mais do tipo, eu prometo voltar sempre!
    Bjos e parabéns!

    ResponderExcluir

Críticas e elogios são sempre bem-vindos. Entrou? Leu? Então deixa um recado para mostrar que esteve mesmo por aqui! E volte sempre :)