Menu

6 de janeiro de 2011

As almas têm o enlace. ¹

"Eu estou caindo, será que você não vê meu amor? Não me deixe aqui sozinho. A terra é fria e estou cada vez mais longe do aroma das coroas de flores, e do seu, do seu aroma de rosas que me deixa cada vez mais inebriado. Tenho a impressão de estar indo para o inferno. Por favor, me salve. Me dê a vida."

  Acordou com o ruído de uma porta que se fechava pesadamente lá embaixo, no térreo. Foi a primeira vez em que ela sentiu a presença de Rodrigo desde o fatídico dia que tirou a vida dele. Um acidente de carro. Madrugada. Morte instantânea, sem dor, sem sofrimento. Essa era a única coisa que consolava a dor de Rebecca. Mesmo a alguns quilômetros de distância, ela pode pressentir que algo havia acontecido. Seu coração gritava de um jeito qaue ela nunca tinha presenciado. Só um amor verdadeiro é capaz dessa proeza. E com certeza, o deles era. Nunca foi visto algo assim. Raro. No enterro não chovia como na maior parte dos filmes. Ao contrário, o dia estava irradiante e o sol a pino. Jogou em cima da lápide as flores que ele havia lhe dado dois dias antes. As suas favoritas. Eram as rosas mais vermelhas que ela viu em sua vida até então.
  Demorou até ela se recompor de suas recordações. A porta acabara de se fechar quando ela vestiu seu roupão, calçou seus chinelos e desceu, lentamente, com passos espaçados, vagarosos, a escada em forma de caracol. Não havia sinal de ninguém no hall de entrada. Não havia sinal de ninguém na casa toda. Caminhou até a porta que a pouco a fizera acordar de mais um pesadelo e pôde constatar que a mesma estava trancada. Abriu-a. No tapete de boas vindas, um buque de rosas vermelhas. As mais vermelhas que ela viu em sua vida até então.







9 comentários:

  1. Cotidianamente, vida e morte se misturam, principalmente pra quem ama.
    Lindo texto (:
    obrigado por visitar e seguir o ébrio!

    ResponderExcluir
  2. Medo.

    Eu não seria besta de descer escada alguma, me afundaria mais ainda nos cobertores da cama.

    ResponderExcluir
  3. dramatica!!!! mas ameiii...

    ResponderExcluir
  4. sou dramática mesmo. 3 beijos hHUSHUAHSUAHUSHUAHS

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto.

    Quem será que deixou as flores? hauahauashasusa

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ficou um clima de mistério no ar. Como o Franco disse, vida e morte se misturam. Existem coisas e sentimento inexplicáveis. A vida é cheia de mistérios.

    Bgs :*

    ResponderExcluir
  7. que lindo *-* quem deixou as flores? D: IUADSHAISUDHASD mistério hm'

    ResponderExcluir
  8. Jessica8/1/11

    Hm.Eu desceria...talvez...Depende da minha coragem e do dia.Mas juro que estaria munida de uma faca ou um porrete.Rsrs.
    Dramático,mas romântico.Amor que supera a morte são poucos.
    Quer parar de encher meu saco?!(Te amo!)Senão vou desconfiar,MESMO,que não foi você que escreveu! (zueira!)

    ResponderExcluir
  9. Eita, mistério, hein?
    Quero saber de continuação!
    beijo

    ResponderExcluir

Críticas e elogios são sempre bem-vindos. Entrou? Leu? Então deixa um recado para mostrar que esteve mesmo por aqui! E volte sempre :)